Existe sensação melhor do que chegar do trabalho e poder tomar um banho confortável e relaxante para se livrar de toda tensão e cansaço do dia? Sim, se considerarmos que você pode fazer isso de maneira econômica. Para desfrutar desse momento, é essencial escolher a ducha econômica certa.

Veja alguns pontos que você precisa observar na hora de comprar a sua e fazer a escolha ideal.

ducha-economica-aquecenorte

 

 

Na ponta do lápis

Para entender como um banho pode interferir na conta, uma ducha comum costuma ter uma vazão de até 27 litros por minuto, segundo estimativa feita pela SABESP. Ou seja, em um banho de apenas 5 minutos, uma pessoa gasta 135 litros. O que é muito acima do que a ONU recomenda para um dia inteiro, que é 110 litros.

Considerando ainda apenas um banho por dia, nessa situação o gasto seria de 4050 litros por mês. Mas essa conta pode ser ainda maior se somarmos a esse número o uso de água para cozinhar e em outras tarefas do dia a dia. E os números crescem mais em uma residência familiar, ou seja, com várias pessoas consumindo água todo dia.

Conheça sua ducha

Antes de escolher qual o modelo ideal para você, é necessário entender o que é uma ducha e por que ela é diferente de um chuveiro. Duchas costumam apresentar uma grande vazão. Sendo que a água não é aquecida no próprio aparelho, como acontece nos chuveiros elétricos. Logo essa água é aquecida em um aquecedor a gás, elétrico ou solar.

Ou seja, antes de colocar uma ducha, talvez você precise providenciar um sistema de aquecimento de água em sua residência. O aquecedor a gás costuma atender muito bem a demanda residencial e vem ganhando popularidade na casa dos brasileiros. Já os aquecedores elétricos, apesar de eficientes, gastam bastante energia elétrica. O que acaba encarecendo sua conta de luz no final do mês.

E o sistema solar é sem sombra de dúvidas o mais econômico. Gerando custo apenas nos meses mais frios do ano, no entanto seu investimento inicial para aquisição e instalação do sistema pode ser um pouco salgado.
Caso more em um apartamento, verifique se o condomínio já possui algum aparelho do tipo e se existe alguma recomendação prévia para a instalação da sua ducha.

ducha-quadrada-aquecenorte

Os tipos de ducha

Em relação às características, existem no mercado quatro tipos de duchas. As tradicionais apresentam apenas a saída de água principal. E pode variar de tamanho de acordo com o modelo e a marca. Elas podem ser fixadas no teto ou na parede, dependendo do tipo de construção e do projeto arquitetônico. Geralmente seu preço é considerado atraente pelos consumidores.

As duchas com desvio se assemelham aos chuveiros comuns, pois possuem uma mangueira flexível. Ela se conecta à ducha por meio do “chuveirinho”, como é conhecida a ducha manual. É um modelo bastante recomendado para quem possui crianças pequenas, já que a ducha manual oferece praticidade na hora do banho.

Já as duchas com barra são fixadas a uma estrutura fixa na parede. Logo isso permite que a altura do equipamento seja ajustada manualmente pelo usuário, funcionando como uma ducha manual. São modelos um pouco mais caros, porém a praticidade costuma valer a pena.
E as duchas externas são aquelas instaladas em áreas abertas, como decks e piscinas. Geralmente, esses lugares costumam ser utilizados em dias quentes, não sendo necessário ficar ligados ao sistema de aquecimento. No entanto, isso varia de acordo com a sua necessidade e o seu gosto.

Fique de olho

O que levar em conta na hora de escolher uma ducha? De fato o mercado atual oferece uma grande variedade de modelos. Desde os tipos mais simples até aqueles desenvolvidos com sistemas de última geração.

Como o foco é economia, a primeira e mais importante característica a ser observada é a vazão de água. Muitos modelos de duchas disponíveis no mercado, apresentam sistemas de controle de vazão, que podem poupar até 70% de água no banho. Alguns modelos oferecem também diferentes tipos de jato – mais concentrados ou mais abertos.

Alguns modelos ainda apresentam um sistema de entrada de ar, em que a água da ducha se mistura com o ar por meio de um dispositivo próximo à saída do fluxo. Essa combinação proporciona uma sensação de maior volume e redução no consumo, que pode chegar a até 50%.

Outro ponto a ser considerado é o material da ducha. Modelos de plástico costumam ser mais simples e baratos. Mas sua vida útil também é mais curta devido à deterioração sofrida pela ação do tempo e pela pressão da água. Os tipos mais modernos são mais resistentes e duráveis. Por conta disso, essas duchas também são mais bonitas e dão um ar de modernidade e sofisticação ao ambiente.

A pressão da água também é um fator importante. Muitas pessoas preferem a ducha justamente pelo grande fluxo. No entanto, alguns fatores, como a altura da caixa d’água, podem interferir diretamente nisso e causar o efeito contrário. Nesse caso, pode ser necessária a instalação de um pressurizador, que garante o volume desejado.

E vale também seguir algumas recomendações básicas. Como tomar banhos curtos, fechar o registro no momento em que estiver se ensaboando e verificar se não há vazamento ou gotejamento quando a ducha não estiver sendo utilizada.

ducha-economica-aquecenorte

Qual a vazão ideal?

A vazão ideal da sua ducha vai depender muito das suas preferências pessoais. E também de quanto está disposto a gastar com contas de água e gás (caso seu aquecedor seja a gás) ou eletricidade (caso seu aquecedor seja elétrico).

Tem quem prefira um banho com mais volume de água, como uma cachoeira por exemplo. Mas também existem quem não ligue tanto para o volume de água e prefira um jato mais forte e concentrado.

Estilos de Duchas

Duchas de vazão média: As duchas com vazão de 10 a 15 litros de água por minuto são consideradas intermediaria. São também as mais comuns de achar no mercado.

Duchas de alta vazão: A partir de 20 litros de água por minuto já classifica a ducha como de alta vazão. Algumas podem chegar a incríveis 60 litros de água por minuto. São duchas com um grande volume de água que por sua vez podem proporcionar um grande prazer no banho, mas também encarecer sua conta no fim do mês. Vale frisar que em alguns países duchas desse tipo são proibidas.

Duchas econômicas: As duchas mais econômicas têm sua vazão média girando em torno de 6 a 8 litros de água por minuto. Muita gente acha que por conta de sua pouca vazão o banho não vai ser tão legal. Mas esse tipo de ducha costuma possuir um jato de água bem concentrado, proporcionando um banho massageador.

ducha econômica

Restritores de vazão

Uma opção para baratear seu banho é a instalação de restritores de vazão. São peças que podem ser instaladas dentro da ducha e que restringem a quantidade de água que a ducha é capaz de soltar.

Em alguns casos esse tipo de peça pode comprometer um pouco a qualidade do jato da ducha, mas sua economia costuma valer bastante a pena.

São componentes fáceis de achar, mas que costumam ser exclusivos para cada modelo de ducha. Então a melhor pedida para encontra-los é procurar no fabricante da sua ducha.

 

Quer receber mais conteúdo sobre duchas econômicas, além de novidades sobre aquecedor a gás, chuveiros e outras dicas sobre o assunto? Assine nossa newsletter e tenha a comodidade de receber tudo isso diretamente em seu e-mail ou entre em contato conosco aqui.

 

Você já parou para refletir o quanto a água é importante em nossas vidas? Já imaginou como seria viver sem água? Provavelmente não, até porque isso seria impossível. A água é a nossa fonte de vida. Além de ser primordial na conservação dos ecossistemas, ela também participa de todas as reações químicas do nosso organismo, bem como dos ciclos biológicos.

Água, recurso finito

Embora seja um recurso naturalmente renovável – somente 2,5% de toda a água do planeta é doce – a água potável é um recurso finito, e atos como a poluição e o desperdício só diminuem as suas reservas.  Quase todas as formas de vida existentes no planeta precisam de água e, ao não consumirem quantidades suficientes, podem vir a morrer.

Tendo isso em mente, é urgente a busca por medidas que reaproveitem a água. Isso porque, com o aumento populacional, o consumo do líquido dobrou no último século. De acordo com a ONU (Organização das Nações Unidas), se os atuais padrões de consumo não forem modificados, a escassez do recurso poderá afetar cerca de seis bilhões de pessoas – correspondente a 2/3 da população do planeta – no ano de 2050.

 

O acesso à água limpa e sua escassez

O acesso à água limpa e ao saneamento básico são direitos humanos básicos reconhecidos pela ONU desde 2010. Ainda assim, tal acesso não se faz presente na vida de aproximadamente 700 milhões de pessoas, mais especificamente daquelas que residem em áreas rurais. E a situação torna-se ainda mais delicada pelo fato de que 1,8 bilhões de pessoas consome água infectada por coliformes fecais – bactérias que contaminam a água por meio das fezes.

A escassez de água já é uma realidade no mundo. Diversos países enfrentam esse problema, principalmente no continente africano. Na região centro-norte da África, o clima é predominantemente árido e semiárido. Além da falta de água nessa região do continente, também não existe um sistema de saneamento básico, comprometendo ainda mais a saúde da população.

Dentre os países sob risco extremo de falta d´água estão: Bahrein, Qatar, Kuwait, Líbia, Djibouti, Emirados Árabes, Iêmen, Arábia Saudita, Omã e Egito.

A importância da água no nosso dia a dia

Todas as atividades do ser humano demandam o consumo de água, principalmente as mais corriqueiras do nosso dia a dia.

A questão é que muitas pessoas não dão a devida importância ao seu uso consciente. Acreditando que ela é um recurso inesgotável, que pode ser usado à vontade. Talvez esse equívoco da população se dê ao fato de que nos deparamos com água em todos os lugares: rios, lagos, represas, chuva e mares. A maior parte da superfície do planeta é ocupada por água, mais precisamente 70%. Contudo, como pontuamos no início do texto, apenas 2,5% de toda a água existente na Terra é doce – ou seja, própria para consumo.

Pensando que 2,5% de 70% é uma quantidade aparentemente baixa, ela seria o bastante para abastecer todo o mundo, se não fosse pela sua distribuição imprópria, poluição e, sobretudo, o desperdício.

Boa parte da água potável é voltada à produção de alimentos, enquanto outra grande fração é destinada à indústria, restando apenas uma pequena parcela para o consumo. Ainda que a indústria acabe desperdiçando parte de seus recursos, o desperdício maior fica por conta do consumo da população em suas atividades diárias. Nesse caso, o que fazer?

 

Como fazer o uso consciente da água

A população mundial tende a aumentar ainda mais. De acordo com a ONU e uma publicação intitulada The World Population Prospects: The 2017 Revision, o crescimento populacional do planeta deverá atingir o número de 9,8 bilhões em 2050. Com isso, haverá não só avanços tecnológicos e industriais, mas uma maior demanda de água.

Sendo assim, é fundamental que todos cuidem desse precioso bem. Para que continuemos tendo qualidade de vida, bem como as futuras gerações.

Faça a sua parte observando seu consumo diário de água e mudando alguns hábitos que aumentem a sua economia. É muito simples. Através dessas dicas, você e sua família não só farão o uso consciente, como também contribuirão para a vida de outros seres vivos.

Veja algumas dicas:

  • Não tome banhos prolongados. Cinco minutos é tempo suficiente para uma boa higienização;
  • Desligue o chuveiro quando for se ensaboar. Torne a ligá-lo apenas ao fazer o enxágue.
  • Faça a escovação dos dentes sem deixar a torneira aberta. Ao realizar a higienização dos dentes com a torneira aberta, 12 litros de água estarão indo direto para o ralo. Ao fechá-la, você estará usando apenas um litro.
  • Raspe bem as panelas e pratos antes de lavar a louça. Ao fazer isso, você estará facilitando a sua limpeza e consumindo menos água. Essa prática também ajuda a economizar o recurso.
  • Não limpe o quintal e a calçada com água. Ao invés de utilizá-la, você pode fazer a limpeza com vassoura ou panos úmidos. Se a limpeza realmente precisar de água, reutilize a da máquina de lavar ou até mesmo da chuva.
  • Faça a instalação de registro e torneiras com menos fluxo de água. Dependendo da localidade, como um prédio, a compressão da caixa d’água pela altura pode ocasionar fluxos mais fortes, fazendo com que se gaste mais.
  • Busque evitar o uso de copos descartáveis, até mesmo os modelos recicláveis. Isso porque tanto a produção, quanto a reciclagem do material requerem o consumo de litros de água. Opte por copos ou canecas plásticas ou uma garrafinha d’água.
  • Reduza o consumo de produtos que acarretam na poluição da água. Como o óleo de cozinha, restos de alimentos, detergente e outros produtos químicos. Esses produtos são frequentemente descartados de forma inadequada. Muitas vezes passando por mananciais e comprometendo o tratamento da retirada dos químicos.
  • Opte pelo uso de duchas econômicas. Além de economizar água, elas também são bastante confortáveis. É válido destacar que em países onde o engajamento pelo uso consciente de água são maiores, o uso de duchas de alta vazão é proibido.

Faça sua parte!

Nós da Aquecenorte contribuímos para que a água não se torne escassa no país. E você, está fazendo sua parte? Assine a nossa newsletter e receba em primeira mão os conteúdos do nosso blog.