Pular para o conteúdo

Uma das maiores limitações que donos de piscina costumam enfrentar é a utilização desses espaços nas estações mais frias do ano. Nos dias mais quentes, a temperatura natural da água costuma ser o ideal para proporcionar toda a sensação de conforto e refrescância que se espera. Mas e quando chega o inverno?

Nesse caso, a saída mais viável é a instalação de um sistema de aquecimento. Basicamente, os métodos existentes na atualidade usam uma fonte de energia para esquentar a água utilizada na piscina. Existem diversas marcas de aparelhos e mecanismos bastante eficientes que promovem o aumento da temperatura e mantém esse nível térmico mesmo nos dias mais frios do ano.

A questão é que, com tantos sistemas diferentes, não existe um método mais eficaz do que os outros para aquecer a água – o rendimento depende de alguns fatores. Para compreender melhor esse processo, este artigo vai mostrar como funciona o aquecimento de uma piscina a partir dos diferentes sistemas encontrados no mercado. É uma boa maneira de compará-los e saber qual é o mais recomendado para o seu caso.

Os principais tipos de aquecedor de piscina

Apesar de existirem os mais diversos métodos de aquecimento de piscina, podemos resumir os principais em quatro tipos:

  • Aquecedor a gás (ou aquecedor de passagem a gás);
  • Bomba de Calor (ou trocador de calor);
  • Aquecedor solar;
  • Aquecedor elétrico.

Aquecedor de Piscina: Aquecedor a Gás para Piscina - Aquecenorte

Aquecedores a gás

Os aquecedores a gás estão presentes no Brasil há pelo menos 45 anos e são um dos primeiros sistemas utilizados em maior escala por aqui para aumento de temperatura da água. Tanto que é um método ainda usado em larga escala para fornecer água quente para residências, condomínios e prédios comerciais. Sendo mais popular no aquecimento do banho.

Como sugere o nome, esse tipo de aparelho utiliza o gás como principal fonte de energia para provocar o aumento da temperatura da água. Os dois combustíveis mais comuns para isso são o gás natural (GN) e o gás liquefeito do petróleo (GLP). Sendo o GN o gás encanado, aqui em São Paulo é fornecido pela Comgás. Já o GLP é o tipo mais popular nas casas dos brasileiros, sendo o gás de botijão.

A escolha, no entanto, depende da disponibilidade de cada um no lugar onde o aquecedor é instalado, pois muitas cidades ainda não têm sistema de distribuição de GN, por exemplo.

Caso queira saber mais sobre os tipos de gás disponíveis para o aquecimento de água pode conferir nesse artigo aqui!

Os aquecedores a gás funcionam por meio do chamado mecanismo de passagem, por isso também são conhecidos como aquecedores de passagem. A água é retirada da piscina por meio de um duto e, em seguida, passa por dentro do equipamento por vários dutos pequenos em volta de uma câmara de combustão. Nela, a água recebe o calor da chama alimentada pelo gás e aumenta sua temperatura. Depois, esse fluxo aquecido é devolvido para a piscina, deixando a água mais quente.

Trocador de Calor Indireto

Aqui temos que abrir um parênteses para falar que basicamente existem dois tipos de aquecedores a gás usados em sistemas de aquecimento de piscina. O primeiro é o modelo próprio para piscina, que funciona exatamente como descrito acima.

Já o segundo utiliza aquecedores a gás comuns, desses utilizados em residências para o aquecimento de duchas e torneiras. Esses modelos de aquecedores a gás não podem receber a água da piscina diretamente. Isso porque os produtos utilizados na água de piscina, tais como o cloro por exemplo, danificam o equipamento.

Nesse caso ainda podemos utilizar o aquecedor a gás comum, mas é necessário fazer um sistema de aquecimento indireto. Esse sistema utiliza um equipamento chamado trocador de calor indireto, que tem seu funcionamento similar a de um radiador. O que ele faz é servir como intermediário no aquecimento da água. Dessa forma ele acaba impedindo que a água da piscina passe por dentro do aquecedor a gás. Esse sistema é menos eficiente que o aquecedor a gás próprio para piscina, mas ainda sim funciona muito bem e é bastante utilizado no aquecimento de piscina.

Aquecedor de Piscina: Trocador de Calor Indireto - Aquecenorte
Aquecedor de Piscina: Trocador de Calor Indireto

A grande vantagem da utilização do aquecedor a gás no aquecimento da sua piscina é a velocidade que esse sistema é capaz de aquecer toda água da sua piscina.

Você pode conferir mais sobre esse tipo de aquecedor de piscina clicando aqui!

Aquecedor de Piscina: Bomba de Calor - Aquecenorte

Bomba de calor

Também conhecido como trocador de calor, é um dos sistemas mais eficientes e modernos que existem no mercado. Isso porque ele utiliza um mecanismo semelhante ao que é encontrado nos aparelhos de ar condicionado tradicionais. Portanto a diferença está no processo.

Só não confunda a bomba de calor, que também é conhecida como trocador de calor, com o trocador de calor indireto. São equipamentos completamente diferentes.

Enquanto o ar condicionado retira o calor do ambiente por um circuito de serpentinas, condensadores e evaporadores, e posteriormente resfriado com o suporte de um gás, a bomba de calor faz a captação do ar quente e o transfere para a água. Por isso acaba funcionando como se fosse um processo “inverso”.

Na bomba de calor, a energia elétrica utilizada pelo aparelho não trabalha diretamente na conversão para energia térmica. Boa parte dela é consumida para realizar esse processo de retirada de calor do ar. Isso faz com que todo o sistema seja mais econômico, se considerada a fonte energética.

Aquecedor de Piscina: Funcionamento da Bomba de Calor - Aquecenorte

Uma das vantagens desse sistema é a instalação: dura apenas algumas horas e não faz muita bagunça. No entanto, o aquecimento da água não é tão rápido como um aquecedor a gás pode realizar. Dependendo do tamanho da piscina, pode demorar até várias horas.

Caso você tenha uma certa previsibilidade na utilização da piscina e possa se programar a bomba de calor costuma ter um ótimo custo benefício, já que seu consumo energético é baixo.

No entanto ele não é muito indicado para regiões muito frias. Isso porque utiliza o próprio calor do ar para aquecer a água da piscina.

Se você quiser saber mais sobre esse tipo de aquecedor de piscina é só clicar aqui! Separamos um artigo bem legal sobre as bombas de calor.

Aquecedor de Piscina: Aquecedor Solar Piscina - Aquecenorte

Aquecedor solar

Os aquecedores solares são muito comuns em residências, condomínios e prédios comerciais. E hoje em dia no Brasil a indústria utiliza o sistema solar cada vez mais. Eles são largamente utilizados nessas situações por fornecer uma grande quantidade de água quente com custo baixo.

Afinal, a principal fonte de calor para aquecer a água é a luz solar. Para isso, são instalados coletores solares responsáveis por reter o calor do sol e transmiti-lo para a água da piscina.

Diferente do sistema de aquecimento solar residencial, no caso da piscina o aquecedor solar não precisa de um reservatório térmico para armazenar a água já aquecida. A própria piscina funcionará como um tanque.

Os coletores solares de piscina também são diferentes dos usados no sistema de aquecimento solar residencial. São coletores abertos, feitos de poliuretano. E uma de suas características é de trabalharem a seco.

Esse sistema possui diversas vantagens. Uma deles é que pode ser utilizado em conjunto com outro sistema, seja ele a gás, bomba de calor ou elétrico. Ele acaba funcionando como uma espécie de suporte caso o principal não dê conta da demanda ou até mesmo para ganharmos mais eficiência no aquecimento.

Aquecedor de Piscina: Esquema do Aquecedor Solar Para Piscina - Aquenorte

Outro ponto positivo são os gastos. Seu custo de aquisição nem sempre é o mais barato. Mas isso se compensa a longo prazo, já que o gasto com energia beira a zero. Se bem que hoje em dia é possível encontrar aquecedores solares com preços mais acessíveis.

Aquecedores elétricos

Esses aparelhos já foram mais utilizados, mas ainda é possível encontrar modelos eficientes no mercado. Seu modo de funcionamento lembra muito o sistema utilizado nos chuveiros elétricos. Assim uma resistência recebe energia elétrica e a converte em energia térmica, fazendo a transferência desse calor para a água. Basicamente é o mesmo método de passagem encontrado no aquecedor a gás. A diferença é que aqui utilizamos a eletricidade ao invés do gás como fonte de calor.

O gasto com instalação é provavelmente a grande vantagem desse aparelho, sendo de longe o mais barato dos descritos nesse artigo. Mas a grande desvantagem é que seu custo a longo prazo tende a ser bem maior do que os outros sistemas. Isso ocorre já que ele funciona somente com energia elétrica. Portanto, seu uso é recomendado para piscinas pequenas ou em lugares nos quais a necessidade de água quente não seja tão grande.

Aquecedor de Piscina - Tipos de Aquecedor - Aquecenorte

Agora que você sabe como funciona um aquecedor de piscina, é provável que já tenha escolhido o melhor sistema para sua situação. Preencha o formulário de orçamento abaixo e conheça o que temos a oferecer.


VERDADE! Primeiramente, precisamos dizer que não tem sensação melhor do que a água quente escorrendo pelos músculos após algum exercício pesado. Todos os exercícios, por mais benéficos para a saúde que sejam, envolvem muitos esforços e podem gerar algum desgaste, te levando até a sentir dor.

Contudo a água quente não auxilia apenas na recuperação de dores decorrente dos exercícios físicos. Há quem enfrente dores e contrações musculares com a origem de problemas mais sérios como estresse e até ansiedade. E essas pessoas também podem se beneficiar amplamente da renovação que um bom banho quente pode proporcionar.

Como já vimos acima, de fato a água quente ajuda na recuperação muscular. É muito importante você entender ainda mais o porquê essa água quente é tão benéfica a saúde muscular. Isso vai fazer que você desfrute de todas as vantagens que um bom banho pode proporcionar.

Então separamos alguns tópicos nesse artigo. Leia mais!

 Por que a água quente é tão relaxante?

Não há dúvidas do quão relaxante é um bom banho quente no fim de um dia estressante. Mas você já se perguntou o porquê que isso acontece?

Até 39ºC, a água aquecida oferece uma sensação de relaxamento no corpo, graças a dilatação dos vasos sanguíneos. Isso faz com que o sangue, e por consequência o oxigênio, flua melhor por todo nosso corpo.

De acordo com alguns estudos neurológicos, um banho quente ativa o sistema nervoso parassimpático. Ele é o sistema responsável pelo relaxamento, remetendo a sensação de serenidade. Portanto, esse sistema é o responsável pelas ações que fazem com que o nosso organismo responda a situações de calma. Como por exemplo a desaceleração dos batimentos cardíacos, diminuição da pressão arterial, redução de açúcar no sangue e diminuição da adrenalina. Essas são algumas das ações estimuladas pelo nosso sistema nervoso parassimpático.

Consequentemente alguns minutos sob um banho de água quente podem fazer com que o cérebro desacelere o corpo, desencadeando então uma excelente sensação de bem-estar.

água quente

A relação entre os músculos e a água quente

Quando falamos de recuperação muscular, tanto a água quente quanto a fria são boas. Porém há casos em que as altas temperaturas são mais eficazes. Isso acontece pois um jato de água quente em alguma área dolorida, como as costas, pode ajudar a recuperá-la. Uma vez que a alta temperatura faz com que a circulação sanguínea seja ativada para levar mais oxigênio à área em questão, diminuindo então as tensões.

O banho quente proporciona diversos benefícios. Ele reduz edemas, facilita o movimento articular e como já vimos acima, relaxa os músculos, além de capacitar as vias aéreas. Outro ponto positivo é que ele melhora a oxigenação das células do músculo. Consequentemente ele acaba promovendo uma recuperação muito mais rápida dos tecidos musculares.

Por esses motivos, na grande maioria das vezes os banhos quentes costumam ser indicados para atletas que sofram de contraturas musculares, limitações na amplitude dos movimentos, fraquezas, dores e lesões.

 Os espasmos musculares e água quente

Os espasmos de um espasmo muscular geralmente fazem as pessoas sentirem dores muito agudas, nas costas, pescoço e em outros lugares do corpo. Acompanhada por um aperto muscular que pode durar de alguns segundos a muuuuitos minutos, fazendo-as sentir um desconforto muito grande.

Os sintomas tendem a aparecer repentinamente após a pessoa fazer algum exercício físico ou passado por alguma situação estressante. Porém esses sintomas tendem a sumir depois de um período de descanso. E se caso não sumirem, a água quente pode ser uma grande aliada no momento de aliviar a dor.

Tanto a conhecida compressa quanto um banho com água quente são extremamente eficazes para desfazer os “nós” musculares. Uma vez que dilatando os vasos sanguíneos e otimizando a circulação, isso ajuda a suavizar a tensão corporal e a reduzir a fadiga muscular.

Mas vale ressaltar que em casos de dores mais graves, onde pode haver inflamação, o indicado é que você aguarde pelo menos 72 horas antes de fazer um tratamento com água quente.

 Outros grandes benefícios da água quente

Existem muitas outras vantagens para a sua saúde e separamos algumas dessas vantagens para você:

  • Abertura dos poros e limpeza de pele: O cravo é um dos problemas de beleza mais comuns. Ele surge devido à acumulação excessiva de óleo nas glândulas sebáceas, obstruindo os poros. Se você quer fazer o procedimento de limpeza de pele em casa, deve usar o vapor de água quente para auxiliar no procedimento e preparar a pele para receber os cremes de tratamento de hidratação.
  • Descongestionamento nasal, auxiliando no tratamento de gripes e resfriados: Quem está gripado ou resfriado, sabe a receita para uma sensação de bem-estar: um banho quentinho para aliviar os sintomas. E nós explicamos o porquê: Além do descongestionamento nasal e relaxamento físico, a água quente tende a fazer o corpo buscar um refresco após o banho, por meio da transpiração. E é exatamente nessa dinâmica de “esquenta-esfria” que o vírus da gripe morre com mais facilidade.
  • Alívio de cólicas menstruais: Para as mulheres que sofrem com cólicas menstruais, o banho quente também pode ser muito valioso. A água quente passa a servir como analgésico e quando deixamos cair bastante água quente no ventre, a tendência é que os vasos sanguíneos da região se dilatem. Dessa forma abre-se então o caminho para a menstruação correr com mais facilidade e, por consequência, aliviando as dores.
  • Alívio das dores de cabeça: A água quente também ajuda muito a dilatar os vasos sanguíneos. Consequentemente ela melhora a distribuição do sangue e alivia as dores de cabeça mais intensas. Nesses casos, o banho quente ajuda especialmente quando as dores de cabeça são causadas por estresse, após um dia cansativo.

 Veja mais

Se após ler o nosso artigo, você ficou interessado em garantir seu banho quente com qualidade e conforto, conheça outros muitos benefícios de se ter água quente com aquecedor a gás de passagem em casa clicando aqui. E caso surja alguma dúvida, entre em contato com um de nossos consultores especialistas em banho.

 

Uma das situações mais comuns em relação a piscinas é a questão do aquecimento da água. Muitas pessoas preferem não ter um sistema que aumenta a temperatura porque acreditam que tal investimento não compensa. Afinal, estamos em um país em que na maioria das regiões há muito mais dias quentes do que frios.

Mesmo que essa situação prevaleça,  é bastante incômodo não poder tomar um banho de piscina nos dias mais frios somente por causa da temperatura. Se no verão a água fria refresca e alivia o calor, nos dias frios a água quente relaxa e traz mais conforto para o corpo.

Você faz parte do grupo de pessoas que ainda não aderiu a um sistema de aquecimento para sua piscina? Este artigo mostrará como funcionam os aquecedores a gás, um dos aparelhos mais utilizados para essa situação. Confira também as vantagens e o que é preciso fazer para garantir seu funcionamento de maneira eficiente e segura.

aquecedor de piscina

Os aquecedores a gás para piscina

O sistema de aquecimento a gás está presente no Brasil desde a década de 1970. Ele foi um dos primeiros a ser utilizado em maior escala por aqui. Com isso, é um dos métodos mais comuns para realizar o aumento de temperatura da água não somente para piscinas. Ele também é utilizado em residências e conjuntos comerciais.

Esse tipo de aquecedor, como sugere o nome, tem o gás como principal fonte de energia para promover o aquecimento da água. Nesse sentido, isso pode ser feito através de gás natural (GN) ou o gás liquefeito do petróleo (GLP). Isso dependendo da disponibilidade de cada um. Muitas cidades brasileiras ainda não possuem um sistema de distribuição do gás natural.

Você pode aprender mais sobre os tipos de gás nesse artigo que separamos para você clicando aqui.

aquecedor de piscina

Os tipos de aquecedores a gás

Existem uma infinidade de tipos de aquecedores de água a gás, mas apenas alguns deles são apropriados para aquecer piscinas.

Aquecedor de Passagem a Gás Convencional

Os aquecedores de passagem convencionais, daqueles usados em residências, podem ser usados também no aquecimento de piscinas. No entanto de maneira indireta, já que a água de piscina não pode passar através do equipamento. A água da piscina possui alguns produtos químicos. Um deles é o cloro por exemplo, que acabariam danificando rapidamente o aquecedor de passagem.

Dessa forma o aquecimento de piscina usando aquecedores de passagem convencionais precisam de um equipamento intermediário. Assim permite-se aquecer a água sem que ela passe diretamente pelo aquecedor. Esse equipamento é chamado de trocador de calor.

Esse trocador de calor basicamente é responsável por separar a água de piscina e a água que vem do aquecedor de passagem. Em um lado do equipamento passa a água quente vinda do aquecedor e do outro a água que vem da piscina. Assim a água quente transfere parte de seu calor para a água fria da piscina. Mas sem nunca fazer contato direto.

Esse sistema de aquecimento permite o uso dos aquecedores de passagem convencionais mas acabam comprometendo parte da eficiência do equipamento.

Se você quiser saber mais sobre o funcionamento dos aquecedores de passagem separamos um artigo para você. Basta clicar aqui!Aquecedor de piscinaAquecedor de Passagem a Gás de Piscina

No entanto existem alguns modelos de aquecedores de passagem próprios para piscinas. Esses equipamentos são capazes de trabalhar diretamente com a água da piscina sem comprometer sua vida útil.

Apesar de ser um equipamento mais caro acaba sendo um sistema de aquecimento muito mais eficiente que os aquecedores de passagem convencionais.

Aquecedor de piscina

Vantagens dos aquecedores a gás

Os aquecedores a gás costumam apresentar muitas vantagens em relação a outros sistemas de aquecimento para piscinas se levarmos em consideração questões como custo-benefício, tempo de aquecimento, rendimento do aparelho e associação com outros métodos.

A maior vantagem do sistema a gás é que ele não depende de uma condição climática ideal para aquecer a água ou mantê-la na temperatura ideal. Se compararmos com as placas solares ou a bomba de calor, por exemplo. Mesmo nas épocas mais frias, um bom aquecedor a gás é capaz de aquecer a água até uma temperatura de 30 graus e em pouco tempo.

Outro ponto favorável aos aquecedores a gás é a economia com a fonte geradora de energia. Se comparado com a eletricidade, como no caso dos aquecedores de passagem elétricos. O gás possui um rendimento muito maior. É importante salientar que algumas empresas fornecedoras do combustível gasoso oferecem benefícios para usuários que escolhem esse recurso. Vale ressaltar também que ele é sustentável.

Se você já possui um sistema de aquecimento instalado, como os painéis solares, os aquecedores a gás podem funcionar em conjunto, como um “dispositivo de emergência” caso o primeiro não consiga elevar a temperatura da água o suficiente por conta das condições climáticas. Isso porque cada um deles funciona de maneira independente, ou seja, a instalação de um não interfere no andamento do outro.

aquecedor de piscina

O que levar em consideração?

Além de todas as vantagens que esse método proporciona, é importante ter em vista certas condições para que o aquecedor a gás possa funcionar com desempenho máximo e sem causar dor de cabeça.

Um desses pontos é a dimensão da piscina. Esse tipo de aquecedor é eficiente para piscinas com até 150 metros cúbicos (para efeito de comparação, uma piscina com 10 metros de largura, 10 metros de comprimento e 1,5 metros de profundidade). Em construções com dimensões maiores, pode ser necessário um sistema com mais potência ou até mesmo a instalação de mais de um aparelho.

Neste caso, uma dica muito útil que ajuda a promover economia e otimizar o aquecimento é programá-lo entre 12 e 18 horas antes do uso. Dessa maneira, o aumento de temperatura é feito gradualmente até atingir o ideal e sem forçar o aparelho.

Outro ponto essencial é a chamada tubulação de retorno, ou o sistema que leva a água aquecida para a piscina. Neste caso, recomenda-se a utilização de tubos e conexões de cloreto de polivinil clorado (CPVC), um material bastante resistente a temperaturas mais altas.

Cuidados com instalação e manutenção

Por se tratar de um aparelho que funciona em altas temperaturas e cuja principal fonte de energia é o gás, esse tipo de aquecedor requer alguns cuidados em sua instalação e manutenção a fim de funcionar de forma correta e sem colocar a integridade física de qualquer pessoa em risco.

A principal medida é que os queimadores devem ser instalados em um cômodo separado da casa de máquinas e bem ventilado, já que se trata de um sistema que gera alta temperatura e, em caso de vazamento de gás, possa ser liberado.

É importante também que haja uma chaminé para a liberação dos resíduos gasosos provenientes da queima, como o monóxido de carbono (altamente tóxico para os seres vivos). Além disso, a instalação do sistema precisa da aprovação do corpo de bombeiros.

Se você acredita que o aquecedor a gás é a solução para a sua piscina, preencha o formulário de orçamento abaixo. Nossos consultores analisarão suas informações e encontrarão o sistema ideal para a sua situação.

Esse não é um tipo de chamado incomum para nós aqui na Aquecenorte. Pelo menos uma vez ao dia nossa assistência técnica recebe o relato que algum aquecedor a gás apitou e depois desligou. Mas afinal, o que isso significa? Quando o aquecedor a gás apita, isso significa que ele acabou de emitir algum código de erro.

Mas como não cansamos de falar, os aquecedores a gás são equipamentos extremamente confiáveis. Tanto é que mesmo atendendo dezenas de clientes diariamente na nossa assistência técnica apenas algo entre 20% e 30% são, de fato, defeitos dos equipamentos em si.

A grande maioria das dificuldades relatadas estão ligadas a problemas de instalação, dimensionamento ou má utilização do equipamento. Daí a importância de contratar apenas empresas especializadas para instalar seu aquecedor a gás. E também para te orientar quando as dificuldades aparecerem.

O aquecedor a gás apita e depois desliga

Esse é um problema bem comum. Você liga a ducha e a água até chega a esquentar, mas depois de pouco tempo o aquecedor a gás digital apita e desliga. Em seu display um código de erro é exibido:

Código 12: Insuficiência de Gás

Isso significa que o gás, o combustível usado pelo aquecedor para esquentar a água, está chegando ao equipamento, mas em uma quantidade inferior a necessária. E como dissemos no tópico anterior esse problema dificilmente está relacionado ao aquecedor a gás em si.

aquecedor a gás apita

Código E1: Insuficiência de Gás ou Falta Completa de Gás

Para equipamentos que tem esse padrão de códigos de erro (padrão chinês), o código E1 pode significar tanto a falta completa de gás, ou seja, não está chegando nenhum gás ao equipamento, o que faz o aquecedor nem acionar. Quanto a insuficiência de gás, onde o aquecedor recebe gás, liga, mas logo desliga e apita, isso ocorre uma vez que o gás que ele está recebendo não é suficiente para mantê-lo acionado.

Aquecedores Rheem de Fabricação Chilena – 2018 

Os aquecedores a gás da Rheem mais recentes (de 2018 em diante) de fabricação chilena mudaram seu padrão de código. Os equipamentos fabricados antes deste período possuem códigos de erro que começam com a letra E seguidos por um número. Exemplo: E1, E2, E8. Agora a letra E foi substituída pelo numeral 1.

Agora o código que anteriormente era o E1 passou a ser o código 11. Ressaltamos que isso pois pode causar confusão, já que fica parecido com o padrão de códigos japonês.

No caso desses aquecedores a gás da Rheem o código 11 equivale tanto a insuficiência de gás como falta completa de gás.

Assim como no caso do código E1 um jeito prático de saber a diferença dos problemas é observar o aquecedor.  É importante observar se ele liga e depois para de funcionar exibindo o código 11 ou se ele nem chega a ligar. Caso ele ligue antes de dar o problema (chegando a esquentar a água, mesmo que parcialmente) o problema é insuficiência de gás. Já se ele não chega a ligar o problema é falta completa de gás.

Possíveis causas

Como na maioria dos casos o problema não está no aquecedor a gás em si, as causas, e por consequência suas soluções, costumam ser simples.

Registro de gás parcialmente fechado

Pode parecer bobo, mas muitas vezes o problema é tão simples quanto um registro de gás não totalmente aberto. Essa não é uma causa tão incomum, principalmente se na sua casa tiver crianças pequenas e curiosas.
Então antes de mais nada verifique se o registro de gás do aquecedor e o registro geral da residência estão totalmente abertos.

aquecedor a gás apita

Sistema de abastecimento de gás mal dimensionado

Quanto maior a capacidade e quanto maior a temperatura, mais gás o aquecedor vai precisar para funcionar. Isso significa que se seu abastecimento de gás não estiver dimensionado corretamente seu sistema não vai funcionar como deveria.

Esse é outro problema comum, especialmente no caso dos aquecedores a gás do tipo GLP, aqueles que utilizam gás de botijão.

As vezes por um problema de espaço ou simplesmente ignorância, é instalado uma quantidade e modelo de cilindros inferiores aos necessários.

Por exemplo, um aquecedor a gás de 20 litros precisa de pelo menos dois botijões P13 ou um P45. Mas não é incomum encontrarmos residências utilizando apenas um P13.

Pior durante o inverno

aquecedor a gás apita

Como seu nome completo sugere, Gás Liquefeito de Petróleo, o GLP trata-se na verdade de um liquido. Esse liquido fica armazenado dentro dos botijões onde passa por um processo de evaporação. Ou seja, passa do estado líquido para o gasoso e depois é consumido, seja pelo fogão ou pelo aquecedor a gás.

No entanto existe uma taxa de evaporação. Essa taxa varia de acordo com o tamanho, pressão e temperatura do cilindro. Quanto maior o cilindro, maior a quantidade de liquido que ele consegue transformar em gás.

A temperatura também influencia nesse fator. Quanto maior a temperatura, mais rapidamente o processo de evaporação acontecerá. O inverso também é real. Por isso no inverno e em lugares com climas frios temos um aumento considerável de problemas se insuficiência de gás com os aquecedores a gás.

Então é muito comum que aconteça o seguinte:

Durante climas quentes, como no verão por exemplo, um único botijão P13 consegue, mesmo no seu limite, atender a demanda do aquecedor a gás. Porém quando o clima esfria a água chega mais fria até o aquecedor e as pessoas precisam de temperaturas maiores para um banho confortável. Além disso a taxa de evaporação cai de velocidade devido ao clima frio.

Assim o abastecimento de gás que já estava trabalhando em seu limite não suporta o aumento de demanda e os códigos de erro aparecem.

Medidor ou regulador de gás errado

Mas não é somente a quantidade e modelo dos cilindros de gás que devem ser levados em conta no dimensionamento de abastecimento do aquecedor a gás. Os medidores de gás (no caso dos modelos de Gás Natural) e os reguladores de gás (no caso dos modelos GLP) devem estar de acordo com a demanda.

Instalar o medidor ou regulador de gás incorreto pode comprometer a alimentação de gás do aquecedor e causar os tão inconiventes códigos de erro E1 ou 12.

aquecedor a gás apita

A Solução

Caso você não esteja muito certo dos reais motivos do porquê seu aquecedor a gás apita e depois desliga acusando o código E1 ou código 12 o mais prudente é entrar em contato com o fabricante ou uma assistência técnica autorizada.

Como você já deve ter percebido, muita coisa pode ser resolvida apenas com a orientação apropriada. Sem a necessidade de uma visita técnica.

Se precisar, também podemos te orientar a resolver seu problema. Pra isso tenha em mãos a marca e modelo do seu aquecedor a gás. Também será necessário saber se ele é do tipo GN ou GLP. Essas informações são facilmente obtidas em etiquetas no próprio aquecedor a gás.

Além disso, fotos também podem ser bastante uteis nessa hora.

 

Entre em contato conosco!

Que os aquecedores elétricos consomem uma grande quantidade de energia a maior parte dos consumidores já sabe. O problema é que os gastos, segundo o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (IDEC), podem atingir um valor superior ao do aparelho. E isto considerando apenas a conta mensal. É por conta disso que possuir um aquecedor a gás em casa é desejo de muitas pessoas.

Afinal, quem não deseja água quente aliada a uma conta de luz mais barata? No sul do país, em cidades como Curitiba, a instalação deste equipamento tem se popularizado. Ele ocupa pouco espaço e pode ser empregado em casas ou apartamentos. Trata-se ainda por cima de um produto com alta durabilidade: em torno de 10 a 15 anos de vida útil. Atualmente, estes aquecedores também apresentam preços mais competitivos.

Embora eles sejam relativamente simples de se introduzir em um ambiente doméstico, é necessário atender a alguns critérios. Para quem se pergunta como ter aquecedor em casa, a rigor não existe norma que exija instalação feita apenas por técnicos.

No entanto, por trabalhar com gás, há riscos de explosão, intoxicação e outros acidentes. Motivo pelo qual os fabricantes recomendam que profissionais especializados lidem com o processo. Fora isso, esteja atento aos detalhes seguintes antes de adquirir o produto.

Aquecedor a gás em casa: o que é preciso para fazer a instalação?

aquecedor a gás

Para instalar um destes aquecedores em casa você precisará, antes de qualquer coisa, ter um ponto de gás. A capacidade em litros determinará o número de pontos que poderão ser abastecidos. Com 22 litros, por exemplo, a sua residência terá disponibilidade de dois pontos de duchas de até 11 litros cada. O lugar mais comum para a instalação é área de serviço.

A razão está descrita na NBR 13.103 – a norma para Instalação de aparelhos a gás para uso residencial. Esta norma determina que os ambientes para estes aparelhos devem ser bem ventilados e com baixa circulação de pessoas. Quartos, salas e banheiros são proibitivos. Se o local escolhido for externo, também é necessária a proteção do equipamento contra os efeitos do clima.

A tubulação da central é aparente e ajuda a dispersar o gás, além de facilitar eventuais reparos em caso de vazamento. Com relação aos tubos, é preciso que sejam do tipo adequado, com revestimento térmico, para não comprometer a segurança.

Você também precisará da tubulação necessária para receber o aquecedor a gás. A tubulação de gás e as tubulações de água fria e água quente. Já os pontos que o aquecedor a gás alimenta com água quente, sejam duchas ou torneiras, precisam ser equipados com misturador e dois registros de água, fria e quente.

No entanto temos a exceção das torneiras conhecidas como monocomando, que como o nome sugere, possuem apenas um registro onde você pode controlar tanto a água fria quanto a água quente.

Vale frisar que torneiras monocomando e torneiras gourmet precisam de uma atenção especial, pois esse tipo de equipamento costuma precisar de um bom nível de pressão para acionar o aquecedor a gás.

Conheça os tipos de aquecedor a gás

Antes de ter um aquecedor a gás em casa, saiba que há dois modelos que servem para este ambiente. São eles o aquecedor por passagem (também conhecidos como aquecedores instantâneos) e por acumulação (boilers).

Não menos importante é conhecer o tipo de gás para o qual é voltado o seu equipamento. Cada modelo de produto apresentará um tipo específico de gás com que poderá trabalhar. Há equipamentos para botijão (GLP) ou encanado (GN). Quaisquer mudanças no tipo de gás demandam conversão do aparelho. O processo envolve substituição de peças e nova regulação.

Ignorar estes detalhes oferece riscos e diminui o rendimento do aquecedor. Lembrando que a resolução posterior destes problemas costuma ser de alto custo. Portanto, não use este equipamento fora da combinação indicada pelo fabricante. Além disso, o bom funcionamento do sistema também depende de um correto dimensionamento.

Dimensionando aquecedores: quantos pontos serão alimentados

aquecedor a gás

Se você quer saber como ter aquecedor em casa, também precisa saber dimensionar o seu uso. Para começar, determine quantos pontos serão alimentandos ao mesmo tempo e a que distância estes se encontrarão do aparelho. Depois conheça a vazão dos pontos. Uma ducha, por exemplo, costuma ter de 8 a 12 litros por minuto em um fluxo ideal. Supondo uma medida de 10l/min em um único ponto, o aquecedor necessário deve possuir pelo menos 10 litros de capacidade.

Se dobrarmos o número de duchas e mantivermos cada uma com a mesma vazão, precisamos aumentar a capacidade do aquecedor. Neste caso, ele deve ter pelo menos 20 litros por minuto de capacidade. E assim continua a lógica para outras configurações possíveis.

Aqui, como no resto, recomenda-se fortemente a atuação de um técnico capacitado para fazer uma análise da sua real necessidade.

Por fim, tenha em vista que apesar de gastar menos energia, as duchas do aquecedor a gás costumam ter um maior consumo de água que os chuveiros elétricos mais simples que achamos no mercado. Enquanto uma ducha padrão costuma ter uma vazão de 8 a 12 litros de água por minuto, um chuveiro elétrico costuma ter de 4 a 6 l/min.

Mas além das duchas econômicas que possuem uma vazão mais baixa que a média também temos a opção de instalar restritores de vazão nas duchas. Esses restritores consistem em uma peça que é instalada dentro da ducha e diminuem drasticamente a vazão de água, assim reduzindo o consumo da ducha.

Quer ter um destes aquecedores em casa? Então aproveite para entrar em contato!

aquecedores a gás

Certifique-se de atender a todos os requisitos descritos acima para instalar este tipo de aparelho na sua residência. Quando bem instalado, este é um sistema bastante seguro. Ele pode ser comparado ao aquecimento elétrico e também sai na frente por não depender de luz. Não esqueçamos ainda que o gás é muito mais barato do que a energia elétrica, ainda mais depois dos ajustes constantes que nossa conta elétrica tem recebido.

Além de tudo que dissemos, vale procurar um fornecedor de confiança para adquirir este produto. Você deseja um aquecedor a gás em casa? Então preencha um formulário de orçamento para descobrir quanto custa o aparelho ideal para a sua residência. Aproveite para tomar banhos confortáveis e ter água quente à vontade gastando menos eletricidade.

 

Não importa o tipo, o tamanho ou a utilidade: qualquer aparelho pode apresentar sérios riscos de mau funcionamento e principalmente para a integridade física de seus usuários, caso seja instalado ou utilizado de maneira inadequada.

Essa atenção é imprescindível quando se fala em aquecedores a gás. Esses aparelhos são capazes de proporcionar muito conforto e praticidade para seus donos. Mas também podem representar um grande perigo em casos de instalações malfeitas. Entenda o porquê esse procedimento é tão importante e quais os riscos que isso pode representar.

Os aquecedores a gás

Como o nome sugere, os aquecedores a gás são aparelhos que promovem o aumento da temperatura da água nas residências por meio de um sistema alimentado por gás, seja o gás liquefeito do petróleo (GLP) ou o gás natural (GN). Eles se tornaram mais presentes nos lares brasileiros nos últimos 20 anos impulsionados pela crise energética. E também pela expansão do fornecimento de gás em diversas cidades brasileiras e também pelos benefícios que proporcionam.

Muitas pessoas acreditam que o aquecedor a gás é perigoso. Mas os sistemas desenvolvidos atualmente são feitos com alta tecnologia, a fim de garantir total segurança na hora do uso.

Podemos falar com tranquilidade que mais de 80% dos problemas que ocorrem com os aquecedores a gás estão relacionados a má instalação ou até mesmo a má utilização

instalações mal feitas

Modelos de aquecedores a gás

Existem dois tipos de aquecedores a gás no mercado atualmente. Os chamados instantâneos ou de passagem. Eles promovem o aumento da temperatura da água no momento em que acionado. O fluxo passa por uma bobina aquecida, sendo que esse contato é o que gera a água quente.

Ainda em relação aos aquecedores instantâneos, é possível escolher algumas variações. Os modelos de exaustão natural permitem controle de temperatura e vazão manuais. Os de exaustão forçada apresentam controle digital, possibilitando ao usuário água mais ou menos quente. Já os modelos de fluxo balanceado podem ser instalados no interior de banheiros.

O outro tipo de sistema de aquecimento a gás é chamado de acumulação. Neste caso, ele possui um reservatório onde a água aquecida é mantida e pronta para uso. De acordo com a necessidade do usuário, a temperatura no interior desse recipiente pode ser controlada antes mesmo do seu uso.

Pontos positivos e negativos de cada um

Os dois modelos apresentam pontos positivos e negativos. Os aquecedores instantâneos, por exemplo, são compactos e podem ser instalados em lugares pequenos. Além disso, são mais econômicos pois consomem o gás somente no momento do aquecimento.

Em contrapartida, o fornecimento da água quente não é instantâneo. Já que o processo de aquecimento se inicia apenas quando é acionado. Ou seja, caso o usuário esteja com pressa, vai precisar lidar com o início do banho com água fria. Também é necessário que haja uma pressão para funcionar adequadamente. E o sistema pode não apresentar o mesmo rendimento se houver muitas saídas de fluxo funcionando simultaneamente.

Já o sistema de acumulação garante água quente em diferentes pontos da casa. E neste caso, não requer uma pressão elevada para garantir o bom funcionamento. Como é bastante durável, tem baixa manutenção e é ótimo na questão do custo-benefício. Porém, sua instalação requer uma área grande, e a reposição de água aquecida no reservatório pode demorar em dias de grande consumo.

Os perigos da má instalação

 

instalações mal feitas

É importante lembrar que neste artigo vamos abordar especificamente os perigos da má instalação dos aquecedores a gás de passagem. Sobre os aquecedores de acumulação, falaremos em um outro momento.

Uma instalação inadequada ou sem a manutenção devida pode causar sérios problemas no aquecedor a gás, que pode diminuir sua vida útil ou até mesmo causar danos que comprometam seu funcionamento. No entanto, é fundamental considerar todos os riscos aos usuários, já que em casos extremos podemos ocorrer acidentes.

Afinal, um dos principais perigos de instalações malfeitas é o risco de vazamento do gás, principalmente em sistemas colocados dentro das residências. Isso tende a gerar duas situações graves para pessoas e animais domésticos que estejam no local.

O primeiro é o risco de incêndio. O gás, como todos nós sabemos, é uma substância altamente inflamável e que pode entrar em combustão com uma simples faísca. Além disso, se houver o vazamento de gás e não houver uma saída de ventilação, pode causar um efeito semelhante a uma bexiga que estoura com o excesso de ar.

O segundo perigo está relacionado à intoxicação. A inalação do gás leva a pessoa a sentir dificuldades respiratórias, tontura, sonolência e até perda da consciência. Se a pessoa desmaiar em um local com vazamento, o risco para sua integridade física é ainda maior, já que o gás expulsa o oxigênio do ambiente e ocupa todo o espaço, o que aumenta o risco de asfixia.

Também é preciso considerar que uma instalação inadequada pode afetar também o monóxido de carbono (CO) e outros resíduos provenientes da queima do gás. Caso haja problemas na chaminé ou no sistema de exaustão, existe o risco de intoxicação por CO, cujos sintomas são dores de cabeça e no peito, tonturas, fraqueza, náuseas e vômitos.

Como evitar os riscos

Para não correr riscos com a má instalação do seu aquecedor a gás, é importante seguir alguns procedimentos essenciais. O primeiro é, caso sua residência ainda não possua a infraestrutura necessária para receber o aquecedor a gás, contratar uma empresa especializada e qualificada, a fim de garantir que tudo será feito dentro das normas de segurança (NBR) e com o máximo de desempenho.

Infelizmente não é incomum essa infraestrutura, que envolve tubulações de gás, ser feita por pedreiros sem a competência necessária para tal.

Caso esteja construindo ou reformando sua casa e esteja pensando em utilizar o gás encanado, entre em contato com a COMGÁS. Eles podem te fornecer uma lista de empresas especializadas que poderão te ajudar com a infraestrutura de gás para o aquecedor e para o fogão.

É essencial também verificar a procedência de todos os componentes do sistema, como válvulas termostáticas, controladores de pressão, registros e conexões de entrada e saída. Dê preferência aos materiais de marcas conhecidas e que tenham o selo do Inmetro, que comprova qualidade e segurança.

Além disso, tanto a instalação quanto a manutenção do aquecedor a gás devem ser feitos por um profissional especializado ou por uma empresa autorizada pelo fabricante do equipamento. Eles possuem tudo o que é necessário para que os procedimentos sejam feitos de maneira segura e dentro das normas estabelecidas.

Durante a utilização, siga as recomendações do fabricante à risca e não mexa em nenhum dispositivo desconhecido. Afinal, estamos falando de um sistema a gás, e seu uso incorreto pode causar vazamentos que em algumas vezes podem acarretar em acidentes graves. Com essas dicas, você certamente vai desfrutar de um sistema de aquecimento a gás sem qualquer preocupação.

Exemplos de má instalação

Abaixo veremos alguns exemplos de instalações mal feitas e/ou fora de norma:

 

Instalação mal feita

 

Instalação mal feita

 

Instalação mal feita

 

Ficou interessado em um aquecedor a gás para sua residência? Preencha o formulário abaixo com seus dados para que nossa equipe elabore o orçamento ideal para sua necessidade.

Poucas coisas são mais revigorantes e relaxantes do que tomar um bom banho quente depois de um dia de trabalho intenso. No entanto, todas essas boas sensações tendem a cair por terra quando abrimos o registro e percebemos que não tem água aquecida saindo da ducha.

Se você tem um sistema de aquecimento a gás como fonte de água quente, é bem provável que o aquecedor tenha parado de funcionar corretamente. Seja por conta da instalação errada, defeito de algum componente ou problema de funcionamento de alguma parte do sistema. Mas o que pode ter acontecido e o que fazer nessa situação? Veja nesse artigo quais as providências a serem tomadas.

Como funciona o aquecedor a gás

Para entender os possíveis motivos que fizeram seu aquecedor a gás parar de funcionar. É importante entender como funciona todo o sistema. Podemos comparar o aparelho com um fogão. Já que existe uma fonte de calor alimentada por gás natural (GN) ou gás liquefeito do petróleo (GLP) utilizada para aquecer a água que passa pelas torneiras e chuveiros da residência.

Existem dois tipos de aquecedores, que se diferem pela maneira como fornecem água quente para seus usuários. O primeiro é o de passagem ou instantâneo. Que recebe esse nome pelo fato de que o aumento da temperatura do fluxo é feito no momento em que o aparelho é acionado.

Para isso, a chama alimentada pelo gás promove o aquecimento de uma bobina por onde a água passa. Nesse momento, ela aumenta sua temperatura de maneira instantânea e logo vai para a saída onde foi acionada, como a ducha ou a torneira do banheiro.

 

Aquecedor a Gás Parou

 

O outro tipo de aquecedores a gás são o boilers. Onde a água fica armazenada em um reservatório e é aquecida pela chama produzida por um tubo no centro de um cilindro.

Este artigo tem como objetivo principal os aquecedores de passagem. Se você chegou aqui procurando saber mais sobre sistemas de acumulação (boiler), clique aqui e sabia mais.

Problemas mais comuns

O aquecedor a gás pode apresentar problemas de funcionamento e até parar de funcionar adequadamente. E isso causa um grande incômodo, não somente pelo fato de ficar sem água quente. Mas também porque pode ser que você precise de ajuda de um profissional.

Desequilíbrio Hidráulico

Um dos problemas mais comuns é chamado de desequilíbrio hidráulico. Em outras palavras, a água fica morna ou simplesmente se mantem fria. Isso acontece porque a água fria, vem direto da caixa d’água ou do fornecimento da rua. Logo possui uma pressão maior do que o fluxo de água quente que vem do aquecedor a gás.

Não é incomum que a água fria “domine” o encanamento e bloqueie a passagem da corrente quente do aquecedor. Como não há mais fluxo e o sistema instantâneo é acionado somente com o escoamento de água, ele interpreta isso como fechamento do registro e desliga.

aquecedor a gás parou

Falta de Gás

Outra situação muito comum é a falta de gás. Que simplesmente impede o aquecedor de funcionar. Neste caso, pode ser um problema de abastecimento da companhia de gás na sua cidade. Ou um problema na estrutura de distribuição do condomínio onde mora, como registro geral fechado. Fique atento com um possível vazamento. Já que o gás natural (GN) e o gás liquefeito de petróleo (GLP) são tóxicos e inflamáveis. Podendo ainda causar acidentes.

aquecedor a gás parou

Aquecedor desliga após um tempo funcionando

Além disso, muitos usuários costumam relatar problemas de funcionamento em que o aquecedor a gás é acionado. Mas ele desliga após um tempo. Essa situação pode ter origem em dois problemas.

Um deles é a insuficiência de gás. Se o seu sistema é alimentado por botijões. É um indicativo de que eles precisam ser trocados ou podem apresentar algum vazamento. Porém, se o seu fornecimento é por encanamento, a pressão do gás pode estar mais baixa do que a necessária para fazer o aquecedor funcionar corretamente. Nesse caso o problema pode estar no medidor de gás.

A outra causa de mau funcionamento do aparelho pode estar relacionada a problemas em algum componente. O mais comum é a ventoinha. Ela é a responsável pela eliminação do monóxido de carbono resultante da queima do gás. Seja por uso excessivo, instalação errada ou desgaste natural da peça.

aquecedor parou

O que fazer nesses casos

Arrumar aquecedor a gás com defeito é uma situação que demanda o suporte de um profissional especializado. Esses aparelhos apresentam riscos iminentes, como superaquecimento, vazamentos e explosões, que podem colocar a integridade em perigo se não forem manipulados corretamente.

Assim, se o problema for o desequilíbrio hidráulico, faça a regulagem da temperatura no próprio sistema e deixe-a em uma situação confortável para todos os usuários. A prática de abrir o registro de água quente primeiro e depois diminuir a temperatura com o fluxo frio não é indicada, porque, além do consumo ser bem maior, pode ocasionar no desequilíbrio hidráulico descrito anteriormente.

Em caso de problemas no abastecimento, ligue para a companhia de gás ou contate o responsável no seu condomínio (se a fonte de gás for externa). No caso de botijões, veja se não há vazamentos ou, se não houver mais gás, faça a troca por um novo.

Se o aparelho apresentar algum defeito, chame a assistência técnica autorizada para identificar as falhas e fazer os reparos. Jamais tente resolver o problema por conta própria, pois isso pode ser muito perigoso.

Uso correto e manutenção

aquecedor parou

Para evitar qualquer problema, o mais recomendado é que você utilize o seu aquecedor a gás da maneira indicada nos manuais do aparelho. Isso prolonga a vida útil de todo o sistema e reduz a possibilidade de problemas no funcionamento.

Além disso, é essencial que você faça uma manutenção preventiva regularmente. Para isso, entre em contato com a assistência técnica autorizada pela marca do seu aquecedor a gás e fique de olho caso encontre algum defeito.

Se você ficou interessado em ter um aquecedor a gás, preencha o nosso formulário de orçamento. Nossos especialistas vão oferecer a melhor solução para sua residência.

É muito comum encontrar pessoas com muitas dúvidas sobre os aquecedores a gás. Como por exemplo funcionalidade, instalação, segurança dos produtos e se os banhos são mesmo mais confortáveis quando se tem um aquecedor a gás em casa.

Por esse motivo, resolvemos criar esse e-book. Para mostrar o que de fato é verdadeiro e quais são os mitos mais falados na internet quando o assunto é o aquecimento de água com sistemas a gás.

Aposto que se você está procurando saber mais sobre aquecedores a gás. Já se perguntou se você mesmo não pode instalar o seu aquecedor. Ou até mesmo se esse tipo de produto ajuda realmente a economizar energia elétrica na sua residência. Mas calma viu, porque essas dúvidas são bem mais comuns do que você possa imaginar. E nós da Aquecenorte estamos aqui para te ajudar.

Nesse e-Book você vai encontrar informações sobre Aquecedores a Gás. Como por exemplo:

  • Se os aquecedores são mesmo seguros;
  • Como os aquecedores a gás ajudam o meio ambiente;
  • Se você consegue trocar o seu chuveiro elétrico por um aquecedor a gás e quais vantagens isso te traria;
  • Se qualquer pessoa pode realizar a instalação dos aquecedores a gás;

 

Tudo isso e muitas outras questões bem frequentes quanto aos sistemas de aquecimento a gás.

e-book - Aquecedores a gás

 

Baixe nosso e-Book gratuitamente clicando aqui.

Quem tem uma piscina sabe como elas são divertidas e úteis. Durante o verão, são o ponto focal da casa, ajudando a manter as crianças entretidas e nos resfriando quando bate aquele calorão. Além de proporcionar um ótimo local para exercício e relaxamento. Mas durante o inverno ou em dias menos quentes, a situação muda drasticamente. Afinal, (quase) ninguém gosta de piscina gelada.

Neste caso, providenciar aquecimento pode ser a resposta para quem deseja aproveitar a sua piscina durante o ano inteiro. Por isso, preparamos o artigo a seguir com 10 vantagens de usar aquecimento de piscina. Benefícios que podem ser acessíveis a todos os bolsos e tipos de piscina.

aquecimento

Confira!

1 – É possível usar a piscina o ano inteiro

Como já dissemos na introdução deste artigo, quem tem uma piscina deseja utilizar ela durante o ano inteiro. Ter uma piscina é sinônimo de investimento. Mas se ela fica fechada ou drenada durante alguns bons meses, esse investimento pode ser visto como um prejuízo. Então é essencial ter aquecimento constante e poder usar a piscina em qualquer estação.

2 – Você pode nadar a qualquer hora do dia

Visitas noturnas à piscina são sempre fonte de prazer e relaxamento. Se você precisa esperar o sol nascer para que a água esquente e só depois poder usar a piscina, então parte do potencial dela está sendo perdido.

Um sistema de aquecimento vai permitir reunir os amigos e a família para aproveitar a piscina em qualquer hora do dia ou da noite.

Além disso, nadar um pouco antes de dormir ajuda a relaxar e espantar a insônia.

3 – Aproveite um relaxamento prolongado

Se tem uma coisa que nos ajuda a relaxar no fim de um dia difícil é tomar um banho quente no chuveiro. Mas o efeito do relaxamento fica muito mais potencializado ao nadar na água aquecida. E ainda poder compartilhar o momento com as pessoas queridas!

4 – Faça uso das propriedades curativas da água quente

A água quente pode ser muito relaxante e também tem potencial de fazer muito bem para a saúde. E são muitas as propriedades curativas da exposição à água quente. A começar pelo relaxamento muscular e das articulações, que melhoram a circulação do sangue e aliviam diversas dores.

Além disso, uma piscina aquecida pode proporcionar melhora em diversas situações. Como por exemplo as cólicas menstruais e dores decorrentes de reumatismo, além de ajudar na recuperação de torções e torcicolos.

5 – Proporciona exercício de baixo impacto

Em comparação com exercícios tradicionais, se exercitar em uma piscina, seja através de hidroginástica ou natação é uma excelente escolha. Isso representa apenas 1/4 do impacto nos músculos, tendões e articulações em relação a atividades como corrida e caminhada.

Se exercitar em uma piscina é perfeito para quem tem fragilidades e necessidades especiais, como no caso dos idosos, pessoas com deficiência e quem tem artrite ou doenças musculares.

Com a piscina aquecida, os benefícios das atividades físicas não são interrompidos durante o inverno, logo o trabalho de condicionamento também não.

aquecimento

6 – Valoriza o imóvel

Muita gente tem medo de ter uma piscina aquecida por achar que dá muito trabalho instalar o sistema de aquecimento. No entanto, quando vão comprar uma casa nova, essas mesmas pessoas preferem um imóvel que já tenha piscina aquecida por causa da comodidade.

Em outras palavras, investir em um sistema de aquecimento para a piscina é agregar valor ao seu imóvel. Então, se você está esperando vender a sua casa no futuro, ter uma piscina aquecida vai permitir que o seu imóvel obtenha um retorno maior e seja mais disputado.

7 – Os sistemas de piscina aquecida são duráveis

Os sistemas modernos de aquecimento são muito mais eficientes e duráveis, independentemente da tecnologia utilizada, seja bomba de calor, movido a eletricidade, a gás ou usando painéis solares.

Claro que as opções entre si podem apresentar certas vantagens e desvantagens dependendo da necessidade e das prioridades do proprietário da piscina, mas, em geral, são excelentes opções para aquecer as piscinas durante o ano inteiro com pouca manutenção.

8 – É mais barato do que você imagina

O custo de aquisição não é o único valor que é preciso ter em mente ao pensar em adquirir um sistema de aquecimento para a sua piscina. É preciso pensar também nos custos de manutenção do sistema e de custeio energético, e que os diferentes sistemas de aquecimentos tem valores diferentes para cada um desses quesitos.

Entretanto, apesar dos custos envolvidos, os valores para colocar aquecimento em uma piscina caíram drasticamente nos últimos 20 anos, especialmente com o surgimento de tecnologias digitais, sistemas híbridos e componentes mais eficientes.

Os aquecedores a gás têm, geralmente, custos de aquisição e instalação mais baratos, enquanto os sistemas solar e híbrido (aquecimento solar em conjunto com bomba de calor) são mais caros.

O preço vai depender do tamanho e do modelo da piscina, mas pode começar em R$ 4 mil e chegar até dezenas de milhares de reais. Mas os custos de manutenção e do metro cúbico de água aquecido podem compensar o investimento inicial.

aquecimento

9 – Protege a estrutura da piscina

Na maioria das regiões brasileiras, o eventual congelamento da tubulação e dos componentes estruturais das piscinas não é um problema, mas existem casos em que os azulejos e o encanamento podem ser comprometidos por variações bruscas de temperatura com quedas acentuadas.

Uma única parte de encanamento danificada pode significar uma obra trabalhosa e complicada, além da interrupção do uso da piscina. Então, um fluxo constante de água quente durante o ano inteiro pode prevenir danos sérios e caros à toda a estrutura da sua piscina.

10 – Custo-benefício

Existem muitos benefícios em ter piscina aquecida para a saúde e para o bem-estar. Mas a pergunta principal é: vale a pena?

Bem, se você já possui uma piscina e deseja instalar um sistema de aquecimento, é interessante consultar uma empresa especializada para tirar todas as dúvidas em relação aos custos de instalação e manutenção. Se você ainda não tem uma piscina, pode ser vantajoso incluir o aquecimento no projeto.

Com todas as vantagens apresentadas, investir em conforto e qualidade de vida para a sua família vale muito à pena.

E no nosso blog, você pode conhecer mais sobre o aquecimento de piscinas e descobrir como funcionam os diferentes sistemas!

Acesse nosso artigo no blog explicando tudo, clicando aqui!

Scroll Up