Dióxido de carbono x monóxido de carbono: Entenda a diferença

Recentemente o caso da família morta por intoxicação de monóxido de carbono chocou o Brasil. O caso reacendeu o debate sobre a segurança do uso de equipamentos a gás. Com os dias frios de inverno, o uso dos aquecedores a gás se intensifica e muitas pessoas acabam deixando de lado aspectos básicos de segurança na utilização do equipamento. E nessa hora o grande vilão é o monóxido de carbono, um gás tóxico que é fatal. Mas afinal, o que é o monóxido de carbono? Qual a diferença para o dióxido de carbono?

Nesse artigo vamos explicar a diferença de cada um, como evitar os riscos além de focar na importância da realização da manutenção preventiva.

Monóxido de carbono

O monóxido de carbono é um gás inodoro, incolor e tóxico. Ele é produzido pela combustão incompleta (pouco oxigênio) de matéria orgânica. Muitas pessoas acreditam que apenas o aquecedor a gás produz o monóxido de carbono, o que não é verdade. Ele pode surgir a partir de toda queima (a gás, óleo ou carvão). Como por exemplo churrasqueiras, carros e fogões.

A fórmula do monóxido de carbono é o CO, e ele é gerado pela falta de fornecimento de oxigênio para permitir a total oxidação para o dióxido de carbono (CO2). Dessa forma quando a queima dos gases provenientes do aquecedor, fogão ou até um carro não é completa, pode ocasionar a proliferação de monóxido de carbono (CO) no ambiente. E ela pode ser fatal. Ou seja, quando há oxigênio insuficiente para completar parte de combustão do carbono, pode ocorrer a origem desse temido gás, que é tóxico. Isso é muito comum em casos de vazamentos, por exemplo.

Você pode ler outro artigo em nosso blog onde explicamos com mais detalhes todos os perigos do monóxido de carbono, como os seus sintomas característicos.

Dióxido de Carbono - Aquecenorte

Dióxido de carbono

O dióxido de carbono (CO2) é formado pela combustão completa de uma fonte de carbono. Trata-se de um composto químico constituído por dois átomos de oxigênio e um átomo de carbono. É importante destacar que ele é essencial a vida no planeta, já que é um dos principais compostos no processo da fotossíntese. Ele é incolor, inodoro e mais pesado do que o ar. Por isso é muito complicado detectar a sua presença no ambiente, já que ele não apresenta cheiro ou sabor. Ele é conhecido como gás carbônico e sua alta incidência no meio-ambiente está relacionada como um dos principais gases formadores do efeito estufa. A respiração dos seres humanos e animais também é uma fonte de CO2, dessa maneira sendo considerada uma fonte natural de emissão.

Ele é um gás que é liberado por vários organismos no processo da respiração, como nos seres humanos, por exemplo. Porém em excesso ele é nocivo tanto para a nossa saúde quanto para o meio-ambiente. Ele e outros gases que são lançados na atmosfera do nosso planeta possuem partículas que ficam “suspensas” no ar. A alta incidência dessas partículas no ambiente são responsáveis pelo efeito estufa em nosso planeta, consequência da elevação da temperatura em todo globo terrestre.  Isso vem ocasionando diversos danos na natureza. Como por exemplo as temíveis mudanças climáticas, chuvas ácidas além da acidificação de rios e florestas. E isso afeta o desenvolvimento de todo meio-ambiente.

Ação prejudicial do dióxido de carbono

O que prejudica a saúde humana são tanto as partículas mais “grossas” do dióxido como as mais finas. As mais grossas podem ocasionalmente ficar retidas no nariz e na garganta. Provocando incômodo, irritação nos olhos, narinas, além de facilitar a instalação de doenças no organismo. Principalmente as doenças respiratórias: Gripe, rinite alérgica, bronquite alérgica a poeira e asma. Já as partículas mais finas causam danos a parte interna do aparelho respiratório. Como os alvéolos pulmonares, brônquios, traquéia, faringe e laringe. A médio-longo prazo isso ocasiona problemas severos tendo como conseqüência o câncer de pulmão.Dióxido de Carbono - Aquecenorte

Importância da manutenção preventiva

É muito importante realizar a manutenção preventiva no equipamento para detectar qualquer irregularidade no seu funcionamento. Muitas pessoas acabam negligenciando aspectos básicos de segurança do equipamento. O monóxido de carbono não tem cheiro e se houver acúmulo no ambiente ele pode ser fatal. Com a realização da manutenção preventiva o técnico vai verificar todos os itens de segurança do equipamento, como por exemplo o duto de exaustão e se no local existem aberturas para ventilação.

Muitas pessoas não levam a sério essa recomendação, deixando passar muito tempo até se dar conta da necessidade de realizar o procedimento. Seja por falhas no equipamento ou mesmo pelo desgaste de algum dos seus componentes, como o duto de exaustão por exemplo. Não é incomum encontrarmos dutos de exaustão extremamente desgastados, com micro-furos ou mesmo furos aparentes. Também não é incomum o caso de clientes que recorrem a terceiros e pessoas sem capacidade técnica para realizar “reparos” ou verificações no seu aquecedor, o que é um erro grave. Somente pessoas treinadas e com experiência vão conseguir realizar esse tipo de serviço. Seja para a instalação, revisão ou mesmo a realização da manutenção preventiva.

Na manutenção preventiva é realizada a revisão geral bem como a  limpeza do equipamento. O objetivo nesse procedimento é o de manter as condições ideais de operação do aquecedor. Importante destacar que esse tipo de serviço deve ser executado anualmente em residências. Já em casos de uso comercial ou industrial do aquecedor a manutenção preventiva deve ser executada a cada 6 meses.

Você pode conferir outro artigo em nosso blog onde explicamos com detalhes todos os procedimentos que são realizados.

Escolhendo a empresa certa

É muito importante buscar empresas credenciadas para realizar qualquer tipo de serviço no seu aquecedor a gás. Infelizmente muitas pessoas acabam recorrendo a empresas não-credenciadas e a terceiros para realizar a instalação e até mesmo a manutenção do aquecedor, o que se caracteriza como um erro grave. Isso porque na manutenção preventiva também é realizada a revisão geral de instalação do aquecedor. É o momento no qual o técnico responsável pode identificar se a instalação foi feita de acordo com as normas de segurança vigentes, além de atestar se o equipamento está sendo utilizado de forma correta.

Confira essa e outras dicas assinando nossa newslatter!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *